Carol

Viajante insaciável, sempre em busca de uma promoção ou imaginando novas aventuras!

​Médica de segunda a sexta!

 

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com

  • Carol Dalto

ISRAEL - Dicas para organizar a viagem

Atualizado: 3 de Out de 2019

Já pensou em ir a Israel mas tem medo? Acha que não é seguro? Dá pra organizar a viagem sozinho? Acha que o país é apenas para peregrinação?

Nesse primeiro post vou dar uma idéia geral de como organizamos nossa viagem para Israel, e nos próximos os detalhes de como foi nosso dia a dia por lá.



Algumas pessoas nos perguntaram quando decidimos nosso próximo destino: “Mas por que Israel? Não sabia que vocês eram tão religiosos”, e nossa resposta sempre foi, “Não somos”, e acredito que não precisa ser. Além de ser a Terra Santa para os cristãos, o lugar mais sagrado para os Judeus e o terceiro lugar mais importante para a religião muçulmana, Jerusalém e Israel como um todo guarda uma riqueza cultural gigantesca, isso sem falar em toda discussão política que a região gera. Foi por tudo isso e por uma mega promoção da Latam que decidimos que esse (mais a Jordânia) seria o nosso próximo destino.





Em 2018 a Latam começou a fazer um voo direto de Guarulhos para Tel Aviv, e no final de Dezembro aproveitamos uma promoção e decidimos que em Junho de 2019 iríamos tirar do papel o desejo de conhecer um pedacinho do Oriente Médio. Única coisa que sabíamos era que enfrentaríamos um “calorzinho”, mas o que é isso para dois brasileiros que moram no Nordeste não é mesmo?!

Decidimos que faríamos tudo por conta própria, e iniciamos uma longa pesquisa na internet. Muitas das pessoas que eu sabia que tinham ido foram de excursão (uma coisa que não queríamos), e na internet fiquei um pouco confusa em relação a passeios, se dava para fazer uma ou outra coisa no mesmo dia, enfim, foram meses e meses de muita pesquisa. Como tínhamos os dias mais contados e ainda iríamos para a Jordânia tivemos que cortar a parte Norte de Israel (Nazaré, Mar da Galiléia, Tiberíades...), acredito que com 1 ou 2 dias a mais já seria possível de fazer.

Um ponto importante que vi em quase todos os outros blogs que pesquisei e que também acho que vale ser mencionado é que Israel é um país seguro! Em nenhum momento me senti desprotegida ou com a sensação de perigo. Então se você tem o desejo de conhecer esse país super interessante e lindo, mas esse é um ponto que lhe preocupa, eu já digo - arrume as malas!!!


ROTEIRO

Vou colocar o roteiro bem simples, e depois vou falar mais sobre cada lugar. Dividimos da seguinte maneira:

· Jerusalém: 4 dias inteiros

· Jordânia: 3 dias inteiros

· Tel Aviv: 2 dias e meio

*Aqui não estou levando em consideração os dias de deslocamento.


Veja que escolhemos 2 bases em Israel: Jerusalém e Tel Aviv e vou explicar.

De Jerusalém fomos visitar Belém, Jericó, Rio Jordão (que fica bem próximo a Jericó), Massada e o Mar Morto, de lá fomos de carro até a fronteira com a Jordânia próximo a Eilat, deixamos o carro em um estacionamento e cruzamos a pé a fronteira Israel-Jordânia e pegamos um táxi até Aqaba.

Como nosso voo voltaria de Tel Aviv deixamos para visitar essa cidade no final, e de lá fomos para Haifa e Cesarea.

Em Israel eu gostei das cidades que usamos como base, o que poderíamos ter feito de diferente seria ter dormido uma noite em Ein Bokek (e de lá visitado o Mar Morto e Masada), porque ela fica no caminho (vide mapa abaixo) entre Jerusalém e a fronteira com a Jordânia.


Fonte: Google Maps

O trajeto destacado em azul foi o que usamos para ira até a fronteira com a Jordânia. Grande parte do caminho vai beirando o Mar Morto, e é bem bonito!


Na beira da estrada, com o Mar Morto ao fundo. Foto: Carol Dalto

Eilat também é um destino bastante procurado pelos turistas, principalmente no verão já que a cidade fica às margens do Mar Vermelho. Li que é um ponto de mergulho bem legal. Antes de cruzarmos para a Jordânia iríamos dormir uma noite por lá ao invés de Aqaba, porém pesquisando os hotéis, achamos os de Aqaba bem mais bonitos e com melhores tarifas e não nos arrependemos! É de lá também que saem muitas excursões de bate e volta para Petra, o que também não recomendo e explicarei melhor o porque.


Do Aeroporto Internacional em Tel Aviv para Jerusalém pegamos um Shuttle que fica bem sinalizado no desembarque. São várias vans em que os motoristas ficam próximos, assim que o carro enche a van sai com destino a Jerusalém. Pagamos 20 dólares ou 67 Shekels (eles aceitavam dólares) por pessoa e achei o serviço bem tranquilo. Tinha visto um taxi e iria ficar aproximadamente U$90.00 dólares, então achei que a economia valeu a pena.

Já no desembarque também compramos o chip de celular de uma empresa chamada 019 Mobile. Paguei por 20 dias e 20GB de internet 262 Shekels (aproximadamente 69 dólares). Achei caro, mas funcionou muito bem!!!


Para andar por Israel alugamos um carro, e não tivemos problemas. As estradas são muito boas, não tem pedágios (exceto na de número 6 - pelo o que nos informaram), e todas as placas tem a sinalização escrito em hebraico, árabe e inglês, porém estávamos o tempo todo com o GPS (salve o Google Maps!!!).

Alugamos em Jerusalém e devolvemos em Tel Aviv.

O carro alugado não pode cruzar a fronteira com a Jordânia, porém do lado da fronteira na parte israelense tem um estacionamento enorme e GRÁTIS!!! Deixamos o carro alugado lá por 4 dias enquanto estávamos na Jordânia e não tivemos problemas.


Recomendo também selecionar alguns dias da viagem para fazer com guia. Já adianto que não achei barato, porém o significado que eles dão a tudo que vocês está vendo e visitando vale muito a pena! Fizemos o passeio guiado em Israel por 2 dias com um guia brasileiro, o Márcio que mora em Israel há 20 anos, e adoramos! No site de turismo do país você encontra todos os guias credenciados, as línguas que falam e até o tipo de turismo que eles mais fazem.



Final de tarde em Jerusalém. Ao fundo cidade velha. Foto: Carol Dalto


DICAS:


· MOEDA:

A moeda em Israel é o Novo Shekel Israelense, que na cotação atual é aproximadamente 1 para 1 com o Real. Levamos dólar e trocamos uma pequena quantidade no Aeroporto de Guarulhos, só para não chegarmos no desespero, e o restante trocamos em Jerusalém mesmo.


· FUSO HORÁRIO:

Israel e Jordânia estão 6 horas na frente em relação ao horário de Brasília.


· VOLTAGEM:220V


. ANTES DA VIAGEM CHECAR

-Feriados judaicos, árabes – a cidade pode estar muito cheia, ou com as lojas e atrações fechadas.

-Shabbat: alguns museus e atrações não abrem no Shabbat que acontece toda sexta a partir do pôr do sol até o sábado quando o sol se põe. Fique atento a isso!

-Israel não precisa de visto! Assim como tinha lido em vários blogs eles também não carimbam seu passaporte, e tanto na entrada quanto na saída te dão um papel que você deve guardar durante a viagem.


.TRANSPORTE:

Não tem Uber em Israel =(.

Dito isso, baixamos um app de taxi que chama "Gett". Baixamos ele depois de pegar um táxi aleatório na rua e o taxista não ligar o taxímetro, resultado, ele cobrou um preço alto e nós nos sentimos enganados. #quemnunca


Se estiver de carro alugado: qualquer lugar na rua ou estacionamento tem que pagar, sempre se certifique disso. Paramos em um shopping na beira da estrada, não vimos o parquímetro que estava um pouco mais distante e ganhamos uma multa de 100 Shekels!



No próximo post primeira cidade base - JERUSALÉM!!!

Fiquei muito encantada com essa cidade!



Até mais,


Carol

37 visualizações